Para que serve o inversor?

A palavra “inversor” tem surgido cada vez mais na indústria. Com uma utilização ampla e de baixo custo, tem ganhado maior espaço no setor. Mas sua compreensão ainda gera curiosidade e dificuldade.

Inversor de frequência

Falando de maneira geral, pode-se definir o Inversor de frequência como um dispositivo eletrônico capaz de variar a velocidade giro de um motor de indução trifásico.

Ou seja, é um dispositivo que transforma corrente elétrica alternada fixa (corrente e tensão) em corrente elétrica C variável, controlando, dessa forma, a potência consumida pela carga por meio da variação da frequência fornecida pela rede.

Esse dispositivo possui essa nomenclatura por sua maneira de fazer a variação de giro do motor trifásico.

É preciso esclarecer que os motores trifásicos são altamente empregados por alguns fatores:

  • Baixo custo;

  • Robustez;

  • Configuração do sistema de distribuição de energia;

  • Facilmente encontrado na indústria;

  • Velocidade constante;

  • Entre outros.

O princípio de funcionamento desse equipamento é baseado no campo magnético girante que surge quando um sistema de alimentação de corrente alternada é aplicada em polos defasados entre si.

Sendo assim, a frequencia fornecida pela rede determina a velocidade síncrona do campo elétrico pela qual o motor trabalha.

A máquina atua mudando esta frequência na entrada do motor: caso a frequência seja maior, consequentemente a velocidade do motor será maior; caso seja menor, também a velocidade assim será.

Dentre as vantagens de sua utilização, está a exploração do funcionamento do motor e condições não descritas nas suas características construtivas.

A utilização desse inversor proporciona flexibilidade de velocidade com a segurança e precisão.

É possível, por exemplo, até mesmo controlar a velocidade do motor sem que haja grandes perdas de torque, aceleração suave por meio de programação, frenagem direta no motor sem necessidade de freios mecânicos, além de diversas formas de velocidade seguindo a ocasião.

Ainda podem ser listadas como vantagens a substituição de variadores mecânicos e eletromagnéticos; automatização, segurança e flexibilidade em processos industriais; instalação simples; entre outros.

Para quem já possui o aparelho, é possível encontrar empresas especializadas em Conserto de inversor de frequência allen bradley.

Com isso, é possível ter de volta o funcionamento perfeito com garantia de funcionamento. É, porém, imprescindível que se busque profissionais competentes para que isso aconteça.

Inversora de solda

Como não poderia deixar de ser, a crescente demanda dos estaleiros, petroquímicas, construção civil e indústria pesada é a responsável pelo fomento do desenvolvimento tecnológico de equipamentos para solda ao redor do mundo, como maquina de solda.

Com o avanço da eletrônica de potência, os maquinários passaram por mudanças drásticas em seus projetos.

Desde a década de 1980, na qual a utilização dos inversores para solda se tornou o foco no desenvolvimento de equipamentos.

As máquinas contam cada vez mais com regulagens especiais com o objetivo de controlar as características do arco para obter um resultado perfeito, independente do processo a ser executado.

Nesse contexto, é comum haver confusão entre máquina e Inversora de solda.

A grande diferença está, basicamente, na utilização de uma placa eletrônica no lugar de um transformador, isso torna a inversora muito mais leve e portátil.

Além disso, é possível obter regulagens mais finas e precisas, pois a eletrônica permite um arco muito mais estável que o transformador.

Por se tratar de uma máquina controlada por uma placa eletrônica, a grande maioria dos defeitos é resolvida com a simples troca da placa o que facilita a manutenção do produto em uma eventualidade.

Inversor para energia solar

inversor de energia solar é responsável por transformar corrente contínua (CC) em corrente alternada (AC), além de levar as baixas tensões dos painéis e baterias até os 110V, 220V ou ainda outra tensão utilizada por um aparelho elétrico.

Os painéis solares, por exemplo, fornecem energia na mesma forma de corrente contínua (CC) e as baterias também recebem e fornecem em CC.

É por isso que, a menos que todos os aparelhos de um lugar possam trabalhar com este tipo de corrente, será fará necessária a utilização de um inversor.

Hoje, praticamente todos os aparelhos eletrônicos no mercado utilizam corrente alternada (AC) e, portanto, apenas pequenos sistemas isolados podem dispensar o inversor.

O inversor é mais uma máquina que comprova o desenvolvimento da tecnologia como uma importante aliada na facilitação de processos industriais. São inovações como essa que oferecem maior versatilidade e crescimento ao mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *