Dicas para manter a indústria com alta produtividade

A indústria foi um setor fortemente impactado pela crise econômica enfrentada pelo Brasil, e que o país tem tido certa dificuldade para ultrapassar.

Por conta disso, os empreendedores da área se veem obrigados a buscar soluções que melhorem a eficiência – ou seja, façam mais com os recursos já disponíveis no estabelecimento.

A boa notícia é que, com a adoção de tecnologia de ponta e a criação de certos hábitos tanto por gestores quanto por profissionais da área operacional, é perfeitamente possível incrementar a produtividade de uma linha de produção, e, consequentemente, tornar a fábrica mais eficiente e destacá-la perante a concorrência.

Confira algumas dicas para fazer isso a seguir:

  1. Invista na automação industrial

Especialistas afirmam que a automação industrial veio para ficar: de acordo com experts na área, é, praticamente, impossível que o seu uso diminua nos próximos anos. Na prática, isso significa que quem não a adotar tende a ficar para trás.

A boa notícia é que, pese ao alto investimento que pode ser necessário para implementá-la, essa tecnologia tem muito a oferecer a qualquer fábrica. Por exemplo: há soluções que reduzem a necessidade de intervenções humanas em máquinas.

É o caso do redutor de velocidade – que, como o próprio nome diz, reduz a velocidade de movimentação de determinado componente quando ela ultrapassa o valor para o qual o aparato foi programado.

Pese ao avanço da tecnologia, é preciso ter em mente que mesmo os itens automatizados mais modernos ainda não dispensam uma boa manutenção.

Afinal, por mais que eles sejam fabricados para terem uma vida útil que seja tão longa quanto possível, seus componentes não são indestrutíveis, e tendem a se desgastar à medida que são usados.

Por conta disso, será preciso investir na manutenção de redutores periodicamente, bem como dos demais componentes de automação que estiverem presentes na linha de produção.

  1. Mantenha os equipamentos calibrados

A indústria existe para cumprir o papel de transformar matérias-primas em produtos acabados, que podem ser tanto vendidos ao consumidor final quanto repassados a revendedores.

Isso, por sua vez, exige a realização de processos físico-químicos muito específicos, que demandam um controle rígido de variáveis como:

  • Temperatura;

  • Pressão;

  • Velocidade;

  • Umidade.

Para que esse controle seja realizado com eficiência, costuma-se usar instrumentos de medição projetados especificamente para tal, como termômetros, balanças e barômetros. Deste modo, garante-se que todos os processos transcorrerão da maneira correta.

Contudo, é preciso ter em mente que tais equipamentos tampouco são indestrutíveis: à medida que são usados, seus componentes se desgastam.

Assim, é possível que as suas medições deixem de ser exatas, o que, por sua vez, tende a prejudicar o processo industrial como um todo.

Felizmente, isso é evitável: basta contratar uma empresa de calibração de instrumentos. Por meio de profissionais especializados, ela fará uma conferência dos equipamentos, verificando se as suas medições continuem exatas. Caso seja detectado algum problema, a equipe providenciará as correções necessárias.

Vale ressaltar que, em algumas situações, a calibração periódica é uma exigência do poder público. É o caso de balanças que pesam produtos para o consumidor final: caso um fiscal note que o aparato não está fazendo pesagens exatas, o proprietário do estabelecimento pode ser sancionado.

  1. Mantenha a manutenção das máquinas em dia

Especialistas em manutenção industrial indicam que, no Brasil, não há uma cultura proativa quanto a defeitos nos equipamentos: os gestores da área costumam esperar até que eles apresentem problemas para providenciar a manutenção, desde uma simples rebitadeira manual até máquinas de grande porte e com mecanismos de funcionamento mais complexos.

Assim, uma das melhores maneiras de tornar uma indústria mais produtiva é romper com essa cultura, passando a investir em manutenção preventiva.

Como o seu próprio nome diz, trata-se de um procedimento que prega a realização de vistorias periódicas nos equipamentos, queira eles apresentem sinais de defeitos ou não.

Deste modo, caso haja algum problema oculto, que ainda não se tornou aparente, será possível solucioná-lo antes que ele se torne um empecilho ao funcionamento da linha de produção.

Consequentemente, a rebitadeira industrial ou qualquer outra máquina estará sempre em funcionamento, evitando imprevistos.

A boa notícia é que isso é muito mais simples do que boa parte das pessoas imagina. Basta elaborar um cronograma, que defina quando cada item deve ser vistoriado, e segui-lo à risca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *