Conhecendo os cuidados necessários em laboratórios

De análises clínicas ao controle de qualidade de produtos industriais, os laboratórios são responsáveis por uma série de procedimentos que são muito importantes para a sociedade como um todo.

Por conta disso, é essencial que tanto os profissionais que os administram quanto os que atuam em suas tarefas cotidianas empreguem todas as boas práticas existentes no mercado, garantindo a confiabilidade dos resultados por eles gerados.

Quer aprender mais a respeito disso? Então confira, a seguir, alguns cuidados necessários em laboratórios dos mais diversos tipos:

  1. Manutenção das instalações elétricas

Laboratórios, de um modo geral, dependem de uma série de aparatos elétricos para que funcionem normalmente. Entre eles, estão:

  • Microscópio;

  • Iluminação;

  • Centrífugas;

  • Refrigeradores.

Na prática, isso significa que uma falha nos circuitos elétricos de suas instalações podem comprometer experimentos, além da qualidade de amostras e reagentes que têm que ser mantidos sob condições específicas.

Por conta disso, é essencial que eles não apenas sejam bem projetados, como, também, passem por procedimentos de manutenção periódica.

É preciso, por exemplo, checar se o quadro de distribuição está em bom estado, se os fusíveis estão danificados e se os fios são mostras de desgaste. Em caso afirmativo, é preciso providenciar os reparos necessários o quanto antes.

  1. Presença de um gerador

Por mais que sistemas elétricos sejam projetados para serem tão seguros e eficientes quanto possível, pode ser que aconteçam imprevistos que impliquem em sobrecargas.

Quando isso acontece, o disjuntor entra em ação: ele causa um curto circuito que interrompe o funcionamento do circuito, mas, por outro lado, evita a sobrecarga de determinado componente ou parte da estrutura.

Como é preciso acionar um eletricista que faça com que o circuito retorne ao funcionamento normal, isso implica em uma falta de luz temporária para o laboratório.

Assim, recomenda-se fortemente que haja um gerador no espaço: esse aparelho suprirá as necessidades energéticas do laboratório até que o abastecimento volte ao normal.

Além disso, é essencial que esse aparato esteja integrado com as instalações de distribuição de energia do edifício, como o quadro geral de baixa tensão. Assim, ele começará a funcionar automaticamente quando houver alguma queda de energia.

  1. Manutenção periódica dos equipamentos

Os equipamentos usados em laboratórios costumam exigir um investimento considerável para a sua compra. Por conta disso, a expectativa é que sua vida útil e precisão sejam longas, exigindo manutenções com pouca frequência.

Apesar disso, o desgaste de tais objetos é inevitável: à medida que o tempo passa e eles são usados, a tendência é que seus componentes apresentem defeitos.

Quando isso acontece, é preciso procurar uma manutenção de equipamentos de laboratório que seja capaz de realizar os reparos necessários.

A boa notícia é que é possível evitar todos os contratempos relacionados a um equipamento parado por meio de uma medida simples: as manutenções periódicas preventivas.

Os laboratórios que empregam esta técnica fazem vistorias em seus equipamentos mesmo que eles não deem quaisquer sinais de que há um defeito, de modo que ela possa ser corrigido mesmo que ainda não seja aparente.

  1. Calibração dos instrumentos de aferição

Para analisar experimentos e amostras, é preciso usar instrumentos de medição, como termômetros e mensuradores de umidade.

O problema é que, assim como no caso dos demais equipamentos, eles não duram para sempre: à medida que são usados, seus componentes se desgastam.

Contudo, neste caso há uma diferença: à medida que isso acontece, os aparatos podem não deixar de funcionar, mas a precisão de suas mensurações certamente será afetada. Isso, por sua vez, tem muito potencial para comprometer a realização de experimentos.

Felizmente, isso também é prevenível: basta contratar uma empresa de calibração de instrumentos SP ou outras regiões.

Tais estabelecimentos são especialistas em verificar se os aparatos de mensuração de um laboratório ainda fornecem números precisos – e, caso não estejam, eles providenciam os reparos para recuperá-la.

Normalmente, recomenda-se que isso seja feito uma vez ao ano, ou, no caso de itens cujo uso é mais intensivo, a cada seis meses.

  1. Limpeza periódica das vidrarias

Seja para realizar experimentos ou armazenar reagentes e amostras, muitos laboratórios usam vidrarias em seu cotidiano de trabalho.

Por conta de sua importância e do fato de que elas ficam expostas às mais variadas substâncias, é essencial que elas sejam higienizadas periodicamente.

Vale ressaltar que isso deve ser feito da maneira correta, com detergente e água corrente, assim como esponjas e escovas apropriadas. Para evitar a contaminação, a última fase do processo deve ser uma limpeza apenas com água destilada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *