Detalhes relevantes para a movimentação de cargas na indústria

Quando se trata do transporte e da logística de cargas ou mercadorias, pode-se contar com um esteira ou empilhadeira para ajudar na tarefa.

Apesar disso, uma coisa nunca muda, pois ambos os procedimentos são coisas extremamente complexas.

Além de o procedimento ser eficiente, também é essencial que ele seja seguro, de modo a não comprometer a integridade dos profissionais responsáveis por eles.

A boa notícia é que, nos últimos anos, o mercado despertou para esta necessidade.

Consequentemente, há cada vez mais máquinas, profissionais e técnicas disponíveis para assegurar que a logística seja sempre eficiente, e que a segurança no transporte de cargas prevaleça.

Interessado no assunto? Então continue lendo e confira algumas dicas fundamentais para uma movimentação de cargas eficiente.

O equipamento correto é fundamental

Não importa se uma carga é grande ou pequena, pois quem precisa mover qualquer objeto dispõe de diversas opções de equipamentos de auxílio. Entre elas, estão:

  • Guindastes;

  • Pontes rolantes;

  • Empilhadeiras;

  • Esteiras transportadoras.

 

Apesar da variedade, é fundamental ter em mente que nem todas as máquinas se adaptam bem a todos os contextos.

Quem usa esteiras, por exemplo, precisa observar a inclinação máxima prevista pelo fabricante, bem como o peso dos produtos.

Há um máximo que jamais deve ser ultrapassado. Do contrário, a correia para esteira pode não ser robusta o suficiente para transportar o objeto com sucesso.

A boa notícia é que, quando há a necessidade de máquinas mais robustas – e, consequentemente, caras – há a possibilidade de alugá-las ao invés de investir na aquisição.

Assim, paga-se apenas um valor referente ao período durante o qual elas são usadas, e toda a manutenção fica a cargo da empresa fornecedora.

Pode ser preciso ter acessórios

Porém, nem todos consideram que, em alguns casos, o equipamento por si só pode não ser suficiente para realizar o procedimento de movimentação adequadamente.

Muitas vezes, é preciso complementá-lo com algum tipo de acessório.

É o que acontece com a ponte rolante, tida como um dos itens mais robustos do mercado.

Por mais eficiente que ela seja no transporte de grandes volumes, esta máquina de nada serve sem o auxílio de um moitão para elevação de carga.

Trata-se de uma espécie de gancho que tem como função fazer a conexão entre a mercadoria transportada e a ponte em si.

A boa notícia é que a tecnologia também têm avançado nesse campo. Atualmente, ao invés da tradicional, pesada e cara corrente, pode-se usar uma fita de fibras sintéticas para içar um item.

Porém, muitas pessoas evitam usá-la, temendo que sua resistência não seja tão boa quanto a da correia.

Isso, contudo, não procede, pois a alta tecnologia envolvida em sua fabricação a torna uma opção de custo mais baixo e de grande durabilidade.

Há normas regulamentadoras a serem seguidas

Algumas atividades econômicas parecem não oferecer risco algum aos profissionais que a exercem. Ainda assim, medidas de segurança são sempre necessárias.

No caso da logística e do transporte de mercadorias, isso não é exceção, pois é por conta disso que caminhoneiros têm que dominar a direção defensiva, por exemplo.

Contudo, quando se trata de uma carga pesada, a atenção deve ser redobrada. Qualquer erro ou deslize pode ser fatal. Para evitar incidentes desagradáveis, é fundamental seguir as duas normas regulamentadoras (NRs) que estabelecem as bases para este tipo de trabalho: as de número 11 e 34, editadas pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Além do que consta nestas normas, há alguns cuidados que são sempre tidos como fundamentais por especialistas – e, consequentemente, devem ser levados em conta.

Em primeiro lugar, o equipamento destinado a movimentação e ao içamento de cargas deve ser instalado em um local estável e plano, ou seja, sem declives.

Da mesma forma, enquanto houver algum objeto sendo movimentado, ninguém deve passar pela área. Em caso de queda, as consequências podem ser extremamente sérias.

Por fim, é preciso ter em mente que cada máquina tem uma capacidade máxima de transporte, definida pelo fabricante. Ela deve ser sempre seguida à risca, do contrário, pode haver sérios acidentes e danos ao equipamento.

Pessoal qualificado é essencial

Apesar de muitas pessoas imaginarem que as pessoas que lidam com o transporte e a movimentação de cargas não precisam ser altamente qualificadas – afinal, elas só precisam posicioná-las da maneira correta, sem dominar nenhuma técnica.

Essa concepção, porém, está equivocada, pois é extremamente indicado que a equipe passe por um curso de movimentação de cargas.

Durante este período de qualificação, eles aprendem como realizar as tarefas inerentes a posição de forma eficiente e segura, ajudando a melhorar os processos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *