Você conhece a evolução que a indústria teve após os anos?

Saiba a história e quais são as perspectivas futuras para o setor industrial nos próximos anos. Desde a primeira revolução industrial, o modo como se produz e comercializa itens mudou muito. A tecnologia sempre foi utilizada para melhor desempenhar esses serviços e hoje continua do mesmo modo.

A indústria sempre está em constante atualização e continua incorporando os melhores e mais sofisticados elementos das novas tecnologias para que se possa produzir os melhores produtos, com praticidade e agilidade.

Os produtos sofisticados e extremamente eficientes que temos apenas existem pois em algum momento da história se criou sistemas para que se pudessem produzir itens em massa e com a rapidez necessária que a sociedade moderna exigia.

Bom, neste texto iremos abordar a evolução que se deu na indústria com o passar das décadas e como isso influenciou na sociedade que temos hoje. Continue sua leitura e venha entender como esses processos se deram.

A evolução da indústria

Para se entender corretamente os processos que fizeram parte da evolução da indústria é necessário que elucidemos alguns estágios: o artesanato, a manufatura e a maquinofatura.

Bom , o artesanato é o estágio onde o produtor executa, normalmente de maneira solitária, as fases de confecção e até de comercialização do dado produto.

Esse tipo de produção se deu até por volta do século XVII, mas até hoje ainda é encontrado em certas localidades e desempenhado em certas tarefas.

Já o processo de manufatura (cuja palavra também é utilizada para se retratar de produtos industrializados) é aquele onde se deu a divisão do trabalho, onde cada tarefa era dividida e responsabilizada para que cada operário a desempenhasse.

Nesse estágio já existiam máquinas básicas e simples, porém a produção ainda era basicamente feita a partir do trabalho manual das pessoas. Isso ocorreu por volta dos séculos XVII e meados do XVIII, onde também se marcou a transformação do tradicional artesão em assalariado.

Por fim a maquinofatura é o estágio que se deu no século XVIII, onde iniciou-se a chamada revolução industrial. Foi a partir daqui que se empregou, de forma maciça, o uso das máquinas e fontes de energia, como o carvão, para que houvesse uma produção em série, com divisão e especialização das funções.

Aqui se deu a origem do método de linha de produção, onde se permitiu produzir itens de uma forma extraordinariamente rápida em comparação com os métodos anteriores.

Durante o período da primeira revolução, a mecanização se expandiu a diversos tipos de indústria, do setor têxtil à metalurgia, e as fábricas passaram a empregar uma diversidade enorme de trabalhadores para desempenhar essas novas funções, recém atribuídas.

No decorrer dessa fase, surgiram diversos ganhos na produção, e em síntese, vamos citá-los aqui:

  • Divisão das tarefas;

  • Otimização do tempo;

  • Queda no custo de produção;

  • Geração de empregos e aumento da produtividade.

Esse foi o estopim, a evolução continuou seguindo seu curso e de forma cada vez mais rápida. No fim do século XIX, que atribuem a ocasião da segunda revolução industrial, com a invenção da energia elétrica e de aparelhos como o telégrafo, todo o mundo passou a consumir os produtos que eram produzidos e comercializados nos grandes centros.

A Indústria atual

Agora, já no século XX, houveram duas grandes guerra mundiais e todo o mundo ocidental se reorganizou. A forma como se dá a mobilidade das empresas, do seu capital e as constantes evoluções tecnológicas deram à economia o status de internacional, a um processo que atribuímos o nome de globalização.

Em síntese, significa a integração e diálogo de nações do mundo todo, que comercializam seus produtos, sua cultura, seu capital intelectual, etc.

Hoje, tudo isso foi largamente implementado, da industria de alimentos, às novas startups de tecnologia. A informação foi democratizada e hoje quase todos têm acesso a um item primoroso que é o responsável pelas mudanças em nossa época: a internet.

Através dela que tem se desencadeado os diversos processos e evoluções industriais, a questão da automação e da realização de serviços através da inteligência virtual.

A industria brasileira deve se atentar às constantes inovações que estão sendo incorporadas no mundo todo, e de modo rápido deve começar a também aderi-las, de modo que possamos ter um meio produtivo, onde se dê conforto ao operário e que também possa realizar as demandas com a devida praticidade, velocidade e segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *