Tirando suas dúvidas sobre os equipamentos de energia do ramo

Com a popularização da automação, os projetos de instalações elétricas industriais são cada vez mais importantes para as empresas desse ramo. O motivo por trás disso é o fato de que, sem energia elétrica, os equipamentos responsáveis pela automatização de tarefas não funcionam. Assim, o impacto sobre a linha de produção é forte.

A boa notícia é que há um equipamento que pode ser usado para evitar que isso aconteça: o gerador de energia.

Ainda assim, é preciso ter em mente que seu uso exige alguns cuidados para que realmente traga benefícios para a empresa na qual está instalado.

Quer aprender mais sobre isso? Então continue lendo e confira algumas informações importantes a respeito dos geradores de energia elétrica.

  1. O que é um gerador?

Como o seu próprio nome diz, um gerador de eletricidade é uma máquina capaz de produzir energia elétrica a partir de uma fonte alternativa.

Assim, em caso de queda no fornecimento da rede regular, ou mesmo da necessidade de se usar equipamentos elétricos em locais isolados, ele entra em ação.

É preciso ter em mente que, por mais que a finalidade do uso do gerador seja sempre a mesma, há vários modelos disponíveis no mercado.

Por conta disso, é preciso analisar minuciosamente todas as possibilidades disponíveis, de modo que seja escolhida a que proporcionar a melhor relação custo-benefício para seu ambiente.

Para que isso seja feito da maneira correta, recomenda-se contar com especialistas, como aqueles que atuam em empresas de engenharia elétrica. Veremos isso detalhadamente a seguir.

  1. Quais tipos de geradores existem?

Como mencionado anteriormente, os geradores não são mais do que máquinas capazes de produzir energia elétrica a partir de fontes alternativas, de modo a substituir temporariamente a rede de distribuição de eletricidade regular.

Por conta disso, os modelos se diferenciam uns dos outros conforme a fonte que é convertida para energia. Entre as mais populares, estão:

  • Diesel;

  • Gasolina;

  • Energia mecânica;

  • Etanol e gás natural.

Como cada um deles tem suas características e vantagens, ou ainda local que mais se adequa é preciso estudá-los, de preferência junto a um eletricista industrial especialista no assunto, para decidir qual tipo de gerador é o mais indicado para a sua indústria.

Por exemplo: Por mais que os modelos que funcionam a base de diesel produzam energia de uma forma eficiente, a reação química que acontece em seu interior gera um subproduto desagradável, que é a fumaça tóxica, semelhante àquela expedida por automóveis.

Assim, é preciso analisar se o ambiente no qual o aparato será colocado não oferecerá riscos a quem estiver em seu interior devido à presença da fumaça.

  1. Quais são as vantagens dos geradores?

Por mais que a distribuição de energia elétrica tenha evoluído consideravelmente no Brasil ao longo dos últimos anos, a rede ainda não chega a locais mais remotos.

Além disso, eventos climáticos intensos, como chuvas e ventos fortes, podem interromper a distribuição, o que, para fábricas que dependem de equipamentos elétricos, é sinônimo de prejuízo.

Em ambos os casos, contar com um gerador de prontidão é fundamental para evitar problemas. Isso porque, se ele for instalado e programado corretamente, é capaz de entrar em ação automaticamente quando qualquer falha na rede de distribuição de energia elétrica for detectada.

Para que isso ocorra basta investir em um quadro de transferência automática gerador. Consequentemente, a empresa pode continuar funcionando até que a situação seja resolvida, sem que seja necessário acionar o equipamento manualmente.

  1. Quais são os cuidados necessários com eles?

Apesar dos benefícios proporcionados por geradores, é preciso ter em mente que eles só se concretizam se alguns cuidados forem tomados.

Em primeiro lugar, é fundamental que, antes de sua instalação, seja feito um cálculo específico para levantar a quantidade de energia consumida pela fábrica durante determinado intervalo. Deste modo, será possível instalar uma quantidade adequada de geradores, de modo que não falte energia quando a rede de distribuição falhar.

Além disso, é fundamental que esses equipamentos passem por manutenções preventivas periódicas.

Isso porque, como eles não costumam ser usados com frequência, os defeitos costumam ser descobertos na pior hora: Quando falta eletricidade e é preciso acioná-lo.

Assim, quando a manutenção de grupo gerador é feita independentemente de o item apresentar defeitos ou não, é possível detectar problemas de uma maneira mais ágil, para, em seguida, providenciar o reparo junto a um profissional devidamente qualificado para tal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *