Serviços que a indústria pode precisar com frequência

O principal objetivo da indústria é através da tecnologia criar mecanismos que sejam capazes de confeccionar o melhor produto com as menores taxas de fabricação. Melhorando a produtividade e aumentando o número da produção, conseguindo, ainda, reduzir os custos e manter a qualidade dos produtos.

Outro ponto é melhorar também as condições de trabalho dos profissionais envolvidos aumentando a segurança e eliminando riscos de trabalho.

Além de melhorar a disponibilidade de produtos de maneira que seja possível fornecer quantidades necessárias de acordo com o momento.

Uma indústria, independente do seu porte ou segmento, precisa ficar atenta a vários aspectos para garantir a eficiência da empresa, como, por exemplo, documentação, equipamentos necessários, dinâmica do espaço, coleta de entulho, entre outros.

Cada vez mais os meios de produção industrial, exigem um número maior de equipamentos, e esse valor tende a crescer mais em setores, como:

  • geração;
  • distribuição de energia;
  • transportes;
  • produção;
  • entre outros.

Ensaio de dureza

Esse processo é aplicado tanto na indústria metalúrgica quanto na mecânica, e consiste na pesquisa e estudo de diversas áreas desse segmento. Em geral, o procedimento é aplicado, principalmente, para traçar comparativos entre os materiais.

Para a dureza são atribuídos diferentes significados, como medida de resistência do material, ações mecânicas, resistência à penetração, à deformação e também ao risco.

Vários fatores influenciam a dureza de uma junta soldada, podendo ser a composição química do metal de base, seu grau de encruamento, a composição química do metal de adição, efeitos metalúrgicos gerados pelo processo de soldagem, tratamento térmico, além dos parâmetros de soldagem.

Uma junta soldada apresenta pedaços bem definidos, que são chamados de metal de base, zona afetada pelo calor e zona fundida, esses limites máximos de dureza são definidos por algumas normas e especificações.

Quando tais limites são ultrapassados, significa que há uma perda de ductilidade e que a junta pode estar comprometida.

O ensaio de dureza é bastante utilizado na comparação de materiais e, além disso, é possível, obter uma correlação aproximada entre os métodos de determinação de dureza Brinell, Rockwell e Vickers e os valores de limite.

No caso do método de dureza Brinell, ele consiste em comprimir uma determinada esfera de diâmetro por uma força, durante um determinado período de tempo, contra a superfície do material, essa superfície deve ser plana e polida ou preparada através de um lixamento ou esmeril.

Essa compressão produz uma impressão permanente no metal, que após a remoção da força, consegue ser medida por meio de uma lupa ou por um micrômetro óptico, essa impressão é chamada de diâmetro d.

No método de dureza Rockwell, leva-se em consideração a profundidade que o penetrador atingiu, descontando a recuperação elástica, devido à retirada de uma carga maior, e a profundidade atingida que é a carga menor.

Nesse método, o resultado é obtido diretamente através na máquina de ensaio além de sua rapidez, este método elimina possíveis erros de medição.

E por fim, no método de dureza Vickers, é um ensaio em que um penetrador de diamante, em formato de pirâmide com uma base quadrada e ângulo entre faces, é comprimido contra a peça a ensaiar por uma força determinada.

Após a remoção da força, as diagonais ficam mantidas na impressão e o número de dureza é calculado através da divisão do valor da carga de ensaio pela área de impressão.

O método de dureza Vickers fornece uma escala contínua de dureza que pode variar entre HV5 até HV1000Kg para cada tipo de carga utilizada.

Correia transportadora

As correias e esteiras transportadoras têm uma ampla possibilidade de utilização, seja para carregamento, transporte ou abastecimento de materiais abrasivos ou pegajosos, entre outros.

De acordo com o projeto específico de cada fábrica, as correias podem variar suas características, podendo ser lisas ou com taliscas, além de possuírem bordas fechadas e apresentarem ou não acessórios diferenciados.

Seja qual for a utilização ou finalidade, é fundamental utilizar a correia transportadora de qualidade, para assim, conseguir garantir movimentos seguros e resultando em agilidade, produtividade e eficiência.

A escolha correta é uma decisão técnica, porque envolve conhecimento de sistemas de transporte, características operacionais, capacidades e velocidades.

Por isso é recomendado contar o auxílio de um profissional especializado no assunto, além de ser econômica, pois envolve capacidades, custos operacionais, custos de manutenção, descarte correto de entulho entre muitos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *