O que é um tratamento de superfície?

O tratamento de superfícies é extremamente importante para o setor industrial em diferentes segmentos. Você sabe do que se trata?

Para conhecer melhor sobre esse processo e ficar por dentro dos detalhes que envolvem o universo do tratamento de superfície nas indústrias, acompanhe o artigo a seguir.

Confira:

  • O que é tratamento de superfície;
  • Como funciona;
  • Uso de materiais diversos;
  • Uso do Cromo;
  • Uso do Níquel;
  • Uso de Resina.

O que é?

Basicamente, o tratamento de superfície é o método utilizado para revestir determinada peça para que ela seja mais protegida, conferindo mais resistência e durabilidade.

Dessa forma, o chamado “banho” pode ser dado em diferentes peças de metal, tais como aço, alumínio, cobre e bronze. O objetivo do revestimento realizado é garantir que a peça possua uma vida útil mais prolongada e consiga resistir de forma mais eficiente aos processos de desgaste, corrosão e abrasão.

Isso torna o procedimento indicado como recurso em ambientes mais nocivos, ou seja, quando as peças em questão lidam diretamente com substâncias químicas diversas.

Existem diferentes formas desse tratamento ser feito, como de modo eletrolítico ou autocatalítico, e variados materiais podem ser empregados durante a sua execução, sendo alguns dos mais conhecidos o níquel e o cromo.

Entre as principais vantagens desse processo, está o acabamento uniforme e sem falhas, de forma que muitos processos de produção de peças podem recorrer a esse método para finalizar os produtos e deixá-los mais atraentes visualmente, mesmo sem que haja a necessidade de reforço.

Utilização do Cromo

O Cromo duro é o nome de um tipo de tratamento de superfície onde uma solução com grande quantidade de partícula de Cromo é aplicada à peça.

A solução que dispõe dos íons do cromo é separada em um tanque após a mistura passar por um procedimento químico e térmico de tratamento, sendo onde a peça será submergida para o “banho”.

Isso permite que o Cromo tenha acesso a toda a superfície de peça, em todos os ângulos e detalhes, reforçando o desempenho do revestimento.

São muitas as vantagens de passar uma peça pelo banho de Cromo, já que ela se torna muito mais eficiente e durável que as demais peças.

A resistência aos agentes corrosivos é um dos maiores destaques certamente, pois esse tipo de tratamento é dado, em muitos casos, para conferir exatamente mais durabilidade ao produto.

Utilização do Níquel

Já o Niquelado, outro processo de revestimento que pode ser feito com peças metálicas de todos os formatos existentes, é um investimento com ótima relação custo-benefícios, pois seus efeitos com relação a maior durabilidade das peças são muito vantajosos.

Existem basicamente três formas desse procedimento, que se diferenciam por seu objetivos e, principalmente, pelo tipo de níquel utilizado em cada um deles, que podem ser: níquel químico, níquel duro e níquel com interdifusão.

No primeiro componente, o objetivo principal é otimizar a resistência ao processo corrosivos no geral. Além disso, outra vantagem muito procurada na escolha desse método é a lubricidade natural que confere um aspecto estético de alto desempenho para as peças, valorizando-as.

No caso do segundo componente, o níquel duro, o processo e os objetivos são basicamente os mesmos, com pequenas diferenças técnicas que podem ser mais vantajosas ou não de acordo com os procedimentos onde o sistema está sendo empregado.

Ao utilizar o níquel com interdifusão, por fim, o principal objetivo é tornar as peças viáveis para uso seguro em ambientes agressivos, onde os processos de corrosão são mais intensos.

Muito recorrente na indústria petrolífera, esse processo confere ainda mais durabilidade aos produtos que são banhados por meio dele.

Impermeabilizando

A demanda por Impermeabilização de peças e utensílios industriais é constante, pois muitos sistemas são prejudicados pelo contato com líquidos diversos.

Por isso, utiliza-se alguns materiais para que essa exigência tão importante seja atendida de forma eficaz e segura, garantindo o sucesso dos procedimentos que dela dependem.

Não é por acaso que o uso da Resina é tão comum no setor. Além de possuir propriedades especiais que conferem brilho, viscosidade um impacto estético profundo nas peças e nos aparelhos onde é aplicada, essa substância é capaz de oferecer o máximo desempenho em proteção, o que a torna muito recorrente dentro das fábricas e indústrias, especialmente aquelas que lidam com procedimento químicos.

O uso da Resina termoplástica é indicado para casos onde é necessário recorrer a um mecanismo mais preciso de revestimento e que confira de forma mais segura a resistência desejada.

Vale lembrar que é essencial que profissionais qualificados realizem o tratamento de superfície, pois, apesar de parecer simples, o banho em diversos tipos de materiais pode ser perigoso e requer conhecimento técnico.

Isso vai evitar riscos de prejuízos na linha de produção, em peças e também vai reduzir significativamente as chances de acidentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *