Materiais industriais que você não conhecia

Em meio a um cenário industrial tão amplo, diversos materiais acabam sendo desconhecidos.

Até mesmo de itens comuns no cotidiano, como alguns tipos de ferramentas e elementos aplicados na confecção de eletrodomésticos e móveis.

Exemplos desses itens são os parafusos e buchas, encontrados nos mais variados equipamentos.

É válido citar que sempre que dúvidas surgirem em torno desse assunto, é importante recorrer a um profissional capacitado para orientação.

Afinal, o uso da peça errada ou da correta de forma indevida, pode resultar em prejuízos e acidentes severos.

O que são buchas?

Diversos aparelhos apresentam as buchas em seus mecanismos, como os ventiladores e os liquidificadores. A bucha corresponde a um elemento de formato cônico ou cilíndrico.

Sua função principal é apoiar eixos, furos alargadores e brocas. É possível que esses itens sejam confeccionados de materiais plásticos ou metal antifricção.

Geralmente, a fabricação deve ocorrer de forma que o material da bucha tenha dureza inferior ao material do eixo.

De acordo com o tipo de solicitação, as buchas são divididas em: fricção radial e fricção axial.

No primeiro caso, podem ter diversos formatos, sendo que os mais comuns são constituídos de um corpo cilíndrico furado, nesse caso, o furo torna possível a entrada de lubrificantes.

As buchas de fricção radial comumente são utilizadas em peças para locais que apresentem manutenção facilitada e/ou cargas pequenas.

Já no caso do grupo de fricção axial, seu uso visa suportar o esforço de determinado eixo em posição vertical e esforços em ambos os sentidos.

Conheça as principais características dos marteletes

Os marteletes consistem em ferramentas que operam de forma semelhante a uma britadeira.

Esses equipamentos são constantemente utilizados na área da construção civil, para atividades diversas, como demolição de vigas e colunas, abertura de canaletas e perfuração no concreto.

Cada modelo de martelete, naturalmente, pode apresentar atributos diferentes, como a energia de impacto.

De qualquer maneira, ao optar por um desses equipamentos, é importante observar se dispõem de encaixe universal, ou seja, que permita o uso de diferentes cinzéis.

Os cinzéis são selecionados de acordo com o material que será trabalhado, por exemplo, o ponteiro para martelete é comumente usado para alvenaria e concreto.

Já a talhadeira, é aplicada para efetuar a abertura de canais para tubos elétricos e de água.

Produção de facas para corte em EVA

Um dos setores industriais em que as facas para cortar EVA são aplicadas é o de embalagens, em especial para efetuar o corte, dobradura e vinco.

De modo geral, a faca consiste em um molde para vários produtos.

Na produção de facas para cortar EVA, as chapas de aço utilizadas para cada projeto podem ser distintas, visando atender aos requisitos dos clientes e qual é a gramatura do material que será cortado e vincado.

Sendo assim, há necessidade de que tudo seja cautelosamente calculado, para que o resultado final do projeto seja satisfatório.

Naturalmente, no meio industrial, quando se trata de outros tipos de materiais, como madeira, couro, folhas de metal, entre outras opções, há técnicas distintas para efetuar o processo, como o corte a laser.

Esse método é realizado por meio de máquinas e dependendo do material, é possível efetuar, além do corte, a marcação ou gravação.

Quais são os principais tipos de parafusos?

Ao falar de parafusos, é importante primeiramente compreender a importância das roscas, uma vez que são os elementos que permitem a fixação.

Elas estão presentes de maneira externa no corpo dos parafusos e de modo interior nas porcas.

Sendo assim, o parafuso de união tem como elemento principal a rosca, que possibilita não apenas a junção, como também a desmontagem e o movimento de peças.

Existem diferentes tipos de parafusos, que são diferenciados, principalmente, pelo corpo, ponta e formato da cabeça, constituindo assim quatro grupos:

  • Parafusos não passantes: dispensam o uso de porcas;
  • Parafusos prisioneiros: não tem cabeça, apenas rosca nas extremidades;
  • Parafusos de pressão: colocados por meio de pressão exercida contra a peça a ser fixada;
  • Parafusos passantes: passam livremente pelos furos e necessitam de porcas, entre outros acessórios.

Conforme pode ser notado, embora os parafusos sigam a estrutura de rosca, presença ou não de cabeça e haste, há grandes distinções entre os tipos.

Por esse motivo, para que as peças sejam montadas e desmontadas sem acidentes ou grandes obstáculos, é importante usar sempre a opção recomendada pelo fabricante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *