Cuidados com a manutenção e calibração de equipamentos

Nos últimos anos as indústrias têm tido um claro crescimento, tanto de estrutura quanto no número de equipamentos disponibilizados para as suas funções e também a manutenção das suas peças, equipamentos e maquinários.

Alguns setores trabalham com funções que devem ter cuidado milimétrico, demandando equipamentos calibrados de forma minuciosa.

Vamos entender durante este artigo quais são os principais equipamentos que necessitam estar com sua calibração, aferição e manutenção em dia para manter os seus setores em pleno funcionamento. Além disso, iremos entender um pouco sobre os conhecimentos necessários para realizar alguns tipos de manutenções.

Calibrações

Diferentemente do procedimento de aferição e manutenção, a calibração dos equipamentos utiliza o método comparativo dos resultados obtidos a partir do uso de um dispositivo com um outro equipamento (normalmente da mesma marca e modelo) que tenha os dados de referência.

Desse modo, é possível comparar os resultados e entender se o equipamento está apresentando algum dado diferente do item comparativo.

Caso exista essa diferença é possível compreender que o equipamento precisa de uma calibração, vamos entender um pouco mais sobre dois equipamentos que utilizam esse meio de testes.

1. Manômetros

A calibração de manometros é necessária pois se trata de um dispositivo que mede a pressão atmosférica em certo ambientes, líquido e até gases.

O manômetro consegue medir e mostrar a pressão por meio de um comparativo com a pressão atmosférica, que é o referencial para o equipamento entender a pressão dentro dos recipientes.

A calibração deste dispositivo deve ser feita periodicamente, de 1 em 1 ano. Como já dito aqui, ela é feita a partir da comparação com outro equipamento referencial. Neste caso em particular, a recomendação é que as medições sejam feitas com mais de um equipamento referencial, para garantir a confiabilidade dos dados.

2. Balanças

A calibração de balanças requer atenção minuciosa, principalmente no meio farmacêutico que trabalha com medidas exatas de certos medicamentos e insumos que devem ser misturados sempre na medida correta.

O modelo mais comum de balanças são as eletrônicas, pois permitem um manuseio muito mais fácil e sua calibragem é igualmente mais simples.

Seguindo o modelo do item anterior, a calibração é feita com a medição de um item referência que o operador deve saber o peso exato antes de iniciar o procedimento.

Na tela terá um botão chamado “CAL” (derivado da palavra “calibrar”), assim que ele for pressionado é preciso colocar o material sob a balança e ela irá começar a medir, quando o valor parar no peso exato do item ele deve ser retirado e o equipamento reiniciado.

Após isso o processo de aferição de balanças estará concluído. Alguns laboratórios costumam repetir esse procedimento por mais duas ou três vezes para garantir a eficácia do procedimento. Porém, é possível entender se a aferição está correta colocando algum outro material de referência e comparando os resultados.

Entendendo a manutenção de motores

Os motores elétricos tem como função principal a geração de energia a partir da corrente elétrica e da atração – e retração – entre 2 imãs que desencadeiam uma série de reações químicas-físicas.

De modo geral, esse imã funciona de modo a impulsionar algum material ou peça a realizar um movimento que será convertido em ação de algum dispositivo (por exemplo no caso dos carros, essa ação é transferida para as rodas).

Assim o conserto de motores elétricos é muito importante e deve ser feita em qualquer uma dessas partes, pois o problema pode ser proveniente de qualquer uma das peças presentes no equipamento.

Normalmente o que apresenta falha é a ignição elétrica, que pode sofrer com descargas de energia ou desligamentos inesperados.

A ignição é o esquema primário que liga o sistema de atração/retração do motor, normalmente a troca dessa ignição é o suficiente para a manutenção de motores elétricos ser concluída.

Como formar um operador de caldeira?

Como ficou claro até aqui, é de extrema importância essas manutenções, pois mantêm os equipamentos em ordem. Mas a prioridade é sempre ter alguém capacitado operando os dispositivos.

Existem diversos tipos de caldeiras, como:

  • Caldeiras flamotubulares;

  • Caldeiras verticais;

  • Caldeiras horizontais;

  • Caldeiras cornuália;

  • Caldeiras lancashire.

Nesse contexto, o curso operador de caldeira tem como intuito deixar o colaborador ciente de todas as normas envolvidas com a NR-13, deixando claro diversas práticas que devem ser adotadas durante a operação de qualquer um dos modelos deste maquinário.

Vale destacar que esses cuidados vão desde o cuidado com os materiais em alta temperatura até na operação correta do dispositivo, desde a partida até os procedimentos emergenciais, de forma a garantir a integridade dos operadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *