Conheça mais sobre a manutenção de caldeiras

As caldeiras são consideradas equipamentos geradores de vapor, dos quais possuem diferentes tipos de aplicações no meio industrial, além da geração de energia elétrica, no que são chamadas de centrais termelétricas.

Existem diferentes tipos de caldeiras, porém, de maneira geral, é possível classificá-las em dois tipos: aquotubulares e flamotubulares.

As caldeiras flamotubulares são caracterizadas pela circulação interna dos gases responsáveis pela condução, ou seja, os gases são conduzidos por tubos no interior da caldeira.

São constituídas principalmente  para a operação em pressões limitadas, já que as partes internas acometidas pela pressão são relativamente grandes.

Já as caldeiras aquotubulares têm como principal atributo a circulação externa dos gases da combustão e dos tubos responsáveis por conduzir a massa de vapor e água.

Diferentemente da opção apresentada, possuem uso mais amplo, principalmente devido a presença de vasos pressurizados internamente.

Como pode ser notado, as principais diferenças estão relacionadas aos tubos para caldeira e na forma como os gases são conduzidos, são características que podem soar como simples, porém, são decisivas para definir as particularidades de cada tipo de caldeira.

O que é pressostato para caldeira?

Quando se fala em instrumentação industrial, é importante se ater ao fato de que tais elementos, como o pressostato são fundamentais para a realização de medição e controle de diferentes variáveis nos processos de produção, tais como vazão e pressão.

Por esse motivo, são decisivos para a coleta de dados, tanto durante manutenções e inspeções, quanto no processo operacional. O pressostato é um importante instrumento de medição de pressão. Sendo assim, é amplamente aplicado como um elemento do sistema de proteção de processos industriais ou equipamentos.

Sua principal funcionalidade é proteger a integridade dos processos ou equipamentos contra pressões muito baixas ou muito altas. Afinal, quando a variação da pressão ultrapassa determinados limites, é possível que grandes danos sejam causados.

Esse instrumento também é chamado de interruptor de pressão, justamente por emitir um sinal assim que a pressão regulada ou programada é alcançada. Dessa forma, o monitoramento pode ocorrer por meio do desligamento do circuito, garantindo assim mais segurança.

No caso do pressostato para caldeira, esse dispositivo, assim como o manômetro e o sensor de pressão, é aplicado para contribuir com a indicação da pressão efetiva do vapor e/ou para o controle no sistema de alimentação de combustível. Este foi desenvolvido para garanti mais precisão e praticidade no dia a dia.

A importância da manutenção em caldeiras

A periodicidade na manutenção de caldeiras a vapor é essencial, principalmente quando se leva em consideração o porte e complexidade do equipamento em questão.

Afinal, o seu funcionamento, envolve altas temperaturas, queima de combustível e altas pressões. Dessa forma, quando há defeitos e processos sendo realizados de forma inadequada, os acidentes podem ser severos, capazes de comprometer não apenas a produtividade, como também a integridade do equipamento e dos operadores.

Uma das formas mais simples de manutenção em caldeiras consiste na preventiva, que conta com a averiguação dos indicadores de temperatura e de pressão. Embora seja considerada uma maneira simples, pode ser decisiva para evitar o aumento do risco de explosão.

Além disso, é importante recorrer a um profissional habilitado para inspecionar a caldeira, entre as manutenções e inspeções de segurança, determinados procedimentos são obrigatórios, tais como:

  • Manutenção do quadro elétrico;
  • Averiguação da fiação elétrica;
  • Exame nos espelhos frontais e traseiro;
  • Inspeção dos cruzamentos de solda da fornalha;
  • Verificação da saída de vapor;
  • Análise do sistema de alimentação da água;
  • Calibração de dispositivos de segurança.

Analisar o estado de conservação dos itens, principalmente da tubulação também é importante para que o profissional contratado sinalize e se conscientize a respeito de procedimentos mais viáveis para manter os tubos em um estado adequado de funcionamento e evitar problemas originados de uma conservação comprometida.

Além disso,  é indispensável que exista diálogo entre o profissional solicitado para a inspeção e/ou manutenção, com o operador responsável pela caldeira em questão.

Afinal, dessa forma, é possível esclarecer determinados fatores e facilitar a identificação de problemas no equipamento. Conforme pode ser notado, as caldeiras são equipamentos geradores de vapor incorporados nos mais variados processos industriais.

Seu modo de operação envolve diversos fatores que podem ser perigosos quando há defeitos ou operação inadequada. De qualquer forma, a manutenção e inspeção podem ser decisivas para minimizar ou até mesmo evitar problemas nesses itens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *