Confira a adequação de máquinas industriais

Redução dos custos, dos erros e aumento na qualidade dos produtos. Essas são algumas das vantagens que fazem com que a automação industrial tenha se popularizado tanto que especialistas apontam que ela chegou a um caminho sem volta. Na prática, isso significa que é muito difícil que o seu uso regrida futuramente.

Apesar de essa técnica trazer uma série de facilidades e benefícios para qualquer indústria, também é preciso ter em mente que, para que a automação seja de fato positiva, é preciso contar com uma série de máquinas eficientes e capazes de assumir as tarefas que serão automatizadas.

Do contrário, haverá uma série de problemas na linha de produção, o que, por sua vez, acarretará em uma perda significativa de produtividade.

Quer saber como usufruir ao máximo da automação em sua indústria? Então continue lendo e confira algumas dicas para assegurar o bom funcionamento de seus equipamentos:

  1. Observe as normas reguladoras correspondentes

Órgãos como o Ministério do Trabalho e a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) costumam editar documentos chamados Normas Reguladoras.

Como o seu próprio nome diz, sua função é fixar padrões mínimos para a realização de certas atividades, de modo a preservar a segurança de todas as pessoas envolvidas.

Por conta disso, há normas que estabelecem como devem ser feitos alguns procedimentos envolvendo máquinas industriais.

Uma delas é a NR-12. Ela traz informações extremamente detalhadas a respeito de todo o ciclo de vida de tais equipamentos, passando por fases tais como:

  • Transporte;

  • Utilização;

  • Procedimentos de manutenção;

  • Descarte, ao fim de sua vida útil.

Da mesma maneira, o documento afirma que o proprietário da máquina em questão deve dispor de alguns itens básicos para que suas operações aconteçam conforme seus parâmetros básicos.

É preciso, por exemplo, contar com um laudo nr 12 que contenha uma análise de risco das atividades e um plano de ação para mitigá-los.

Outra norma que costuma regular os procedimentos realizados em uma indústria é a norma reguladora 33.

Nesse caso, o documento estabelece uma série de boas práticas para o trabalho em espaços confinados, algo comum entre profissionais que atuam na área de manutenção industrial.

A NR 33 afirma que é preciso, por exemplo, contar com certos equipamentos de segurança, que preservem a integridade desse trabalhador. Do contrário, haverá riscos para a sua saúde.

  1. Invista em sensores

Um dos principais componentes necessários à automação industrial são aparatos que possibilitem avaliar a situação no interior de uma máquina ou ambiente, de modo a decidir qual ação será tomada – em outras, palavras, sensores.

Por conta disso, é muito interessante que o proprietário de uma indústria invista em modelos modernos e eficientes, que funcionem sempre que acionados.

Um bom exemplo da aplicação de tais aparatos é o tipo que se dedica a averiguar a aproximação de um objeto em direção a um referencial, acionando um mecanismo em seguida: o sensor de proximidade.

Dependendo da forma com ele for configurado, é possível que ele emita um alerta sonoro ou movimente uma peça de forma automática, permitindo a continuidade das atividades na linha de produção.

Por conta disso, esse aparato também costuma estar presente em itens do cotidiano, como smartphones e, até mesmo, automóveis – nesse último caso, ele funciona como um sensor de estacionamento.

Vale ressaltar que esse é apenas um exemplo, já que também é possível instalar um sensor que meça muitas outras variáveis, com temperatura, pressão ou a presença de uma pessoa ou peça em uma área determinada. Assim, as possibilidades oferecidas por eles são praticamente infinitas.

  1. Invista em segurança

Apesar da tendência da automação, indústrias ainda precisam de uma grande quantidade de mão de obra para funcionarem.

Contudo, o corpo de funcionários de uma fábrica costuma ser variado: há desde técnicos de manutenção até engenheiros extremamente qualificados. Juntos, seus conhecimentos se complementam, permitindo que o estabelecimento funcione.

Entretanto, é preciso ter em mente que o acesso aos equipamentos deve ser restrito às pessoas que efetivamente precisam ter contato com elas, como os profissionais de manutenção e engenheiros da área.

Do contrário, é possível que uma pessoa não qualificada para tal a manipule, causando-lhe danos e prejudicando a sua produtividade.

A boa notícia é que há diversas maneiras de fazer o controle de entradas e saídas dos espaços dentro da indústria, como o uso de um sensor de presença, além do uso do acesso biométrico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *