3 dicas para melhorar a sua indústria

O setor industrial é composto por diferentes áreas, que estão muito presentes no dia a dia das pessoas. Isso porque, para qualquer produto chegar à mão do consumidor final, ele precisou passar por diversos processos industriais.

E isso só foi possível por meio de alguns serviços de suma importância, como o sistema de gerenciamento industrial, por exemplo.

Partindo desse pressuposto, é possível imaginar a complexidade que é ramo industrial, uma vez que são inúmeras máquinas, procedimentos e dados que ficam em jogo.

Mas, para ajudar nesses pontos, desenvolvemos este conteúdo exclusivo com três dicas especiais para melhorar a sua indústria, independente do setor. Acompanhe o restante do texto a partir dos próximos tópicos deste artigo.

1. Sistema de controle de portões

Controle Remoto Linear é um item fundamental em qualquer empresa que preze pela segurança em primeiro lugar. Isso porque o equipamento é configurado para abrir os portões do local por meio de um controle, tudo de maneira automatizada.

Esse tipo de item também é muito usado em casas e condomínios. Para ter uma ideia, quando alguém chega a determinado lugar de carro, é necessário sair do carro, abrir o portão; voltar ao carro e depois adentrar no espaço.

Com o controle remoto todas as etapas ficam inexistentes, pois o motorista só precisa apertar um botão que automaticamente o portão se abre. Neste sentido, entre as principais vantagens do equipamento, destacam-se:

  • Comodidade;

  • Garantia de segurança;

  • Poupa o tempo do usuário;

  • Mais facilidade durante o dia a dia;

  • Impede a entrada de meliantes.

Cabe destacar que, quando o motorista sai do carro para abrir o portão, automaticamente, ele fica vulnerável, podendo ter o carro – ou no pior dos casos – a casa assaltada.

No cenário industrial, a ausência do equipamento pode prejudicar toda a integridade de funcionários, assim como colocar em risco os bens da empresa.

2. Gestão industrial

Assim como foi mencionado na introdução deste artigo, contar com um sistema de gestão empresarial para a indústria é a melhor maneira de garantir que tudo fique em ordem, a fim de garantir a produtividade em todos os setores da indústria.

Neste cenário, o principal modelo de sistema é conhecido como ERP, muito usado na maioria das grandes empresas. A sigla significa Enterprise Resource Planning, ou somente planejamento de recursos da empresa.

Esse tipo de programa funciona reunindo dados de todos os departamentos da indústria e com isso elabora relatórios completos, com tudo o que precisa mudar, e o que evoluiu, bem como o rendimento da empresa.

Os ERP, portanto, são sistemas constantemente atualizados e que estão em conformidade com as exigências fiscais no que diz respeito ao estado e município.

Isso assegura que a indústria continuará seguindo a legislação e cumprindo o que é necessário. A grande sacada das empresas que usam esse tipo de sistema é a facilidade e manuseio, autonomia durante o uso e, consequentemente, a melhora na produtividade de cada setor analisado.

Padronização dos processos

Os sistemas gerenciais garantem a padronização de serviços, o que reduz drasticamente o tempo gasto com a análise de cada um dos setores de maneira manual.

Ou seja, ao padronizar todos os setores em um único sistema, o empreendedor do ramo industrial assegura:

  • Integração de setores;

  • Uniformidade de processos;

  • Resultados mais bem elaborados;

  • Menos erros processuais.

Ainda assim, a padronização também facilita o aprendizado a respeito do negócio e seus derivados, porque todo o gerenciamento estará direcionado apenas em um local.

3. Aquecimento a gás

Com a tecnologia existente, o sistema aquecedor a gás foi desenvolvido como uma alternativa à energia elétrica. Além de ser menos impactante ao meio ambiente – fator importante para as indústrias atuais – o equipamento reduz o consumo de energia elétrica.

Dentre os principais benefícios desse tipo de modelo de aquecimento cabe salientar:

  • Redução do custo da conta de energia;

  • Equipamentos mais potentes;

  • Aquecedores modernos e inteligentes;

  • Sensor de corta gás, no caso da chama apagar;

  • Acendimento automático.

Portanto, no sentido empresarial, esse tipo de aquecedor anula o uso de algumas máquinas elétricas, proporcionando mais economia no fim do mês.

Ainda assim, o m³ (metro cúbico) de gás, em alguns estados, é mais barato que a própria energia elétrica.

No fim das contas, a empresa que usa esse método presencia a melhora do rendimento, redução de custos e a diminuição do impacto ambiental causado pelas grandes hidrelétricas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *